domingo, 12 de abril de 2009

Nos braços de um Anjo...



A tua presença na minha Vida, onde quer que estejas...

Tão leve, mas tão delicado quanto o toque das nuvens...
Tão breve, mas tão profundo quanto o universo...
Tão sincero quanto as lágrimas que insistem em cair-me...

O que eu vejo, ainda que com perfeccionismo descrito,
Jamais seria passível de uma explicação considerável...
Nem mesmo eu consigo suportar com total sanidade todos os momentos,
Risos, sorrisos, detalhes dos momentos que vivencio...

Por tal me desculpo, ao passo que não sou capaz de expor toda a minha felicidade...

Explode em mim esta sensação dominante...
Este meu 'Eu' abrangente...
Esta minha vida de vitórias, de derrotas,
De altos, de baixos, de “inconclusões” com final comum...

Sei o que quero!
Não sei até onde vou!
A minha ousadia é temida pelo meu âmago...
É sentida pelos meus sentidos...
É encarada pelo meu sorriso...

As minhas lágrimas são o fruto das mais nobres emoções que posso eclodir...
Elas escorrem e levam de mim as lembranças tristes que no passado repousam, as feridas adormecidas...

Quando a mim me for dada a oportunidade da compreensão,
Então estarei disposta a arriscar aquilo que ainda não arrisquei...
Dia após dia...

Nos braços de um Anjo,
Se encontram os meus sonhos...
Nos braços de um Anjo,
Se encontram os meus desejos...
Nos braços de um Anjo,
Eu me encontro perdida...

Este Anjo, secreto para mim,
Este Anjo, que me acolhe em seus braços,
Nos meus momentos de devaneios lúcidos...
Ele que me tem por inteira,
Que sabe o que existe no fundo da minha Alma...
Ele que zela por mim,
Como que por um bebé frágil e dependente de seu Amor...

Desconheço como é o seu rosto,
Para mim ele é só um pensamento,
Um sonho abafado pela realidade gritante...
Mas sei que é real,
Pois sinto-o em todo o meu ser,
De uma maneira intensa, plena, suave, real...


Eu estou nos braços de um Anjo...

E nos braços de um Anjo eu quero morrer,
O mesmo Anjo que Anjo me tornará,
Porque a sua asa com a minha se completará...



1 comentário:

Espelho meu disse...

Que bom ter-te de volta e reler as tuas doces palavras... :D

Espelho-me neste texto e gostei especialmente desta frase: "Por tal me desculpo, ao passo que não sou capaz de expor toda a minha felicidade..."
Gostei porque me fez lembrar o quanto tenho saudades de sentir isso...sentir que a minha felicidade é tão grande que se torna imensurável...sentir que algo me faz feliz e que por mais que eu tente mostrar, ache sempre que é demasiadamente pouco...

Adorei...fez-me sorrir... ;)

Imenso beijo para ti*